+
 
Paulo Bonavides
Atual da Cadeira 17
 
Paulo Bonavides é paraibano de Patos, integrado há muitos anos à vida intelectual do Ceará.
 
É um dos juristas mais respeitados do País e suas obras estão definitivamente incluídas na bibliografia brasileira especializada.
 
Titular da Teoria Geral do Estado, na Faculdade de Direito da UFC.
 
Autor de inúmeras conferências e aulas magnas no Ceará e outros Estados do Brasil, participou de simpósios e certames culturais em todo o território nacional.
 
Nasceu Paulo Bonavides em Patos, PB, aos 10 de maio de 1925, filho de Fenelon Femando Bonavides e Hermínia Femandes Bonavides. É casado com Yeda Satyro Benevides e tem os filhos Paulo, Márcio, Clóvis, Vera, Gláucia, Doralice e Amarília.
 
Fez seus estudos preparatórios no Liceu do Ceará (cursos secundário e pré-Jurídico) e diplomou-se em 22 de dezembro de 1948 pela Faculdade de Direito da Universidade do Brasil (Rio de Janeiro), depois de haver freqüentado os dois primeiros anos na Faculdade de Direito do Ceará.
 
Exerce a Cátedra de Ciência Política na Escola de Administração do Ceará deste 1957.
 
Ex-Professor de Literatura Brasileira no Seminário Românico da Universidade de Heildelberg, Alemanha (1952-1953); ex-professor de Filosofia do Direito no antigo curso de Doutorado da Faculdade de Direito da UFC; ex-professor de Ciência Política no referido Curso; ex-professor de Economia Política da Faculdade de Ciências Econômicas da UFC; ex-professor catedrático concursado de Sociologia Educacional no Instituto de Educação Justiniano Serpa; exprofessor de Teoria Geral do Estado na UFC (1957-58); ex-Assistente Técnico de Educação (concursado) da Prefeitura Municipal de Fortaleza; ex-Vice-Diretor da Escola de Administração do Ceará (1961); Curso de Sociologia Jurídica (Research Pound) e Sociologia (Sorokin), na Universidade de Harvard, EUA, durante o ano acadêmico 1944/1945.
 
Desempenhou importantes funções no Magistério Cearense, valendo destacar: Membro do Conselho Técnico da Escola de Administração do Ceará; Membro da Comissão Examinadora do Concurso de Professor Titular de Teoria Geral do Estado na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (concurso celebrado em 1974); Membro da Banca Examinadora do Concurso de Professor Titular de Direito Constitucional do Departamento de Direito Público da Faculdade de Direito Público da Universidade de Minas Gerais, em Belo Horizonte (1981); Membro da Coordenação do Curso de Mestrado do Departamento de Direito Público da Faculdade de Direito da UFC (1977).
 
Pertence Paulo Bonavides a uma. grande constelação de associações culturais de todo o mundo, valendo mencionar algumas delas: Association Internationale de Science Politique (França); Internationale Vereinigung fur Rechta und Sozialphilosophie (Viesbaden, Alemanha); American Foreign Law Association (EUA); The American Society for Political and Legal Philosophy (EUA); Instituto ibero-Americano de Derecho Constitucional (México); Centro Brasileiro de Estudos Latinoamericanos (Rio de Janeiro); Membro da Comissão de Informação da International Association of Constitucional Law; Membro Fundador e Presidente do Instituto Brasileiro de Direito Constitucional (IBDC), se dia do em São Paulo, desde 1979; é correspondente do Grande Colégio de Doutores de Catalunha (Espanha); Membro da Sociedade Brasileira de Sociologia (São Paulo); Membro correspondente do Instituto de Derecho Constitucional y Político da Universidad de La Plata (Argentina), além de muitas outras. É membro da Academia Cearense de Letras, onde ocupa a Cadeira no 17; Membro da Academia Cearense de Letras Jurídicas, ocupando a Cadeira no 29, cujo Patrono é Raimundo de Farias Brito, desde 1978; é Sócio Titular do Instituto do Ceará desde 1955.
 
Pelos seus trabalhos Paulo Bonavides tem recebido muitas honrarias, dentre as quais destacamos: Prêmio Carlos de Laet (1949); Selo de Bronze do Jubileu de Reorganização da Universidade de Heildelberg, Alemanha; Prêmio Clóvis Bevilácqua, da UFC, destinado à melhor obra publicada em 1967, nos gêneros Direito e Ciência Política; Prêmio Viagem ao Uruguai e à Argentina, conferido pela Cadeira de Direito Judiciário Penal (Prof. Benjamin de Morais), da Universidade do Brasil, em 1948; Diploma Comemorativo do Jubileu da Escola Superior de Guerra, 1947; Medalha comemorativa do nascimento de Clóvis Bevilácqua, conferida pelo MEC, em 1959; Medalha Comemorativa Gustavo Barroso, Fortaleza, 1962; Diploma do VII Congresso Nacional de Jornalistas, comemorativo do Cinqüentenário da Associação Brasileira de Imprensa, Rio, 1957; Medalha Comemorativa do Centenário de Instituto do Ceará 1987.
 
Bibliografia de Paulo Bonavides
 
Universidade da América Ed. O Cruzeiro, Rio, 1946 (Prêmio Carlos de Laet, da Academia Brasileira de Letras);
The Golden Age of Jounalism in English Literature (Defoe, Addison & Steele), Fortaleza, 1950; 
Dos Fins do Estado (Tese para a Livre-Docência de Teoria Geral do Estado na Faculdade de Direito da UFC 1955; 
O Tempo e os Homens (ensaios e crônicas), Fortaleza, 1952; 
Do Estado Liberal ao Estado Social (Tese para concurso da Cátedra de Teoria Geral do Estado da UFC Fortaleza, 1953, 2a edição, . Ed. Saraiva, São Paulo, 1961; 3a edição, Fundação Getúlio Vargas, Rio, 1972; 4a edição, Ed. Forense, Rio, 1980; 
Ciência Política (Prêmio Clóvis Bevilácqua) da UFC, la edição: Fundação Getúlio Vargas, 1967; 2a ed. idem, 1972; e 3a edição: Ed. Forense, Rio, 1976; 4a idem, 1978; 5a idem, 1953; 
Teoria do Estado la edição, Ed. Saraiva, SP, 1967; 2a edição, Ed. Forense, Rio, 1980; 
A Crise Política Brasileira Prefácio de Afonso Arinos de Melo Franco, la edição, Forense, 1969; 2a idem, 1973; Textos Políticos de História do Brasil Imprensa Universitária, Fortaleza, 1973; 
Reflexões (Política e Direito) la edição, Imprensa Universitária, 1973; 2a edição, Forense, 1978; 
Direito Constitucional la edição: Forense Rio, 1980; 
Direitos Políticos e Partidos Políticos na Constituição Brasileira A Democracia e a Liberdade no Contrato Social de Rousseau In As tendências de Direito Público e a Ciência Política Fundação Getúlio Vargas, Rio, 1962; 
Política e Constituição Os Caminhos da Democracia Forense, Rio, 1985; 
Constituinte e Constituição A Democracia, o Federalismo. a Crise Contemporânea UFC, 1985; 
Demócrito Rocha Uma Vocação para a Liberdade Fundação Demócrito Rocha, com apoio da Assembléia Legislativa e Instituto do Ceará, Fortaleza, 1988.
 
 
 
 
(85) 3226-0326 / 99703-1133
acdeletras@gmail.com
 
Copyright © 2015
D7W Design