Alba Valdez

Posição Ocupante das Cadeiras 8 e 22
Categories: Cadeira 22, GALERIA DE ACADÊMICOS, Membros, Ocupantes

Maria Rodrigues Peixe, que adotou o pseudônimo de Alba Valdez, nasceu em Itapajé-Ce, no dia 12 de dezembro de 1874.

Diplomou-se na Escola Normal do Ceará, em 1889, dedicando sua vida ao magistério e aos estudos literários.

Fez parte do Centro Literário, da Boêmia Literária, da Iracema Literária e da Liga Feminina Literária, a primeira agremiação de mulheres no gênero no Ceará, da qual foi presidente.

Jornalista, colaborou com jornais e revistas de Fortaleza e de outras cidades.

Em dezembro de 1901, publicou uma série de contos enfeixados em um livro sob o título “Em sonho”, sendo alguns capítulos traduzidos para o sueco, pelo Dr. Goron Bjorkman e publicados no lllustreradt Hwad Nytt, de Stokolmo.

Ingressou na Academia Cearense de Letras no dia 8 de setembro de 1922, por ocasião da primeira reorganização do sodalício, ocupando a cadeira número 8, cujo patrono era Álvaro Martins. Quando da segunda reorganização, não foi convidada a participar, fazendo parte do chamado grupo dos “injustiçados”.

Foi eleita para ocupar a cadeira número 22 da Academia Cearense de Letras, em 4 de outubro de 1937, na vaga deixada por Leiria de Andrade, cujo patrono é Justiniano de Serpa. A posse ocorreu somente no dia 30 de agosto de 1945, ocasião em que foi saudada pelo padre Misael Gomes.

Foi membro do Instituto do Ceará.

Alba Valdez foi a primeira mulher a ingressar na Academia Cearense de Letras.

Faleceu em Fortaleza, em 5 de fevereiro de 1962.

Obras principais: Em sonho (1901); Dias de luz (1906); Uma grande figura da história educacional do Ceará.

Fonte: STUDART, Guilherme. Dicionário biobibliográfico cearense. MARTINS, José Murilo. Academia Cearense de Letras. História e Acadêmicos. GIRÃO, Raimundo. A Academia de 1894. NOBRE, F. Silva. 1001 Cearenses ilustres.