VALDEMIRO CAVALCANTE

Posição Fundador Acadêmico
Categories: Fundadores

Valdemiro Cavalcante nasceu em Granja-Ce, no dia 26 de janeiro de 1869.

Filho do tenente-coronel Antônio Pereira Jacinto Cavalcante e de Antônia Ferreira Barros Cavalcante.

Na adolescência, mostrou inclinação para o jornalismo, fundando na sua cidade natal o “Ensaio”. Fez os estudos preparatórios no Instituto de Humanidades. Quando estudante, em Fortaleza, colaborou no jornal “Cearense” e fundou os jornais literários “Colibri” e “Filolítera”.

Bacharelou-se pela Faculdade de Direito do Recife, em 1891. Quando ainda acadêmico, escreveu no “Clarim” e no “Norte”, em Recife.

Retornando ao Ceará, exerceu as funções de promotor de justiça do Icó, secretário da Chefatura de Polícia, secretário do interior e diretor da Escola Normal. Manteve banca de advogado, com grande clientela.

Tomou parte no primeiro Congresso Constituinte estadual, integrando a comissão encarregada de elaborar o projeto de Constituição.

Dirigiu o “Libertador”, “A República” e “Jornal do Ceará”. Colaborou na “Pátria”, “Diário do Ceará” e “Jornal do Agricultor”, este, do Rio de Janeiro.

Pertenceu à Padaria Espiritual, com o nome de Ivan d’Azhoff. Presidiu a Sociedade Cearense de Agricultura.

Foi um dos fundadores da Academia Cearense de Letras, tendo comparecido à sessão solene de 15 de agosto de 1894.

Faleceu em Fortaleza, em 3 de fevereiro de 1914.

Obras principais: Barbosa de Freitas (biografia, no ‘Cearense’); Males e remédios. Pró-Ceará (1896); Silos; Forragens (1900); Discurso (Proferido por ocasião da inauguração do retrato do Dr. Nogueira Acioli no quartel do Corpo de Segurança) (1899); Relatório de Diretor da Escola Normal (1899).

Fonte: STUDART, Guilherme. Dicionário biobibliográfico cearense. MARTINS, José Murilo. Academia Cearense de Letras. História e Acadêmicos. GIRÃO, Raimundo. A Academia de 1894.